Beleza e sexualidade feminina, um reflexo do seu prato


Para estimular a produção dos hormônios sexuais - alimentos ricos em ômegas

Cremes e tratamentos ajudam. Mas, no dia-a-dia, o que garante o frescor e o vigor de pele e cabelos é aquilo que você põe no prato. Está cientificamente comprovado. Quer ver? Unhas fracas costumam ser um sinal de que falta ferro no organismo - e não adianta comer gelatina ou tomar suplementos de cálcio, porque o problema é a carência de outro mineral. Queda de cabelo também é um caso típico: formados por queratina, os fios precisam de aminoácidos para crescerem fortes e sadios. A falta de zinco no organismo pode causar deficiência no paladar e no olfato e, principalmente, causa a diminuição dos hormônios sexuais, diminuindo o apetite sexual da mulher. E adivinhe onde o organismo vai buscar essa matéria-prima? Nos alimentos. Portanto, não é exagero dizer que sua beleza e sexualidade nada mais são do que um reflexo de sua alimentação.

Para evitar boa parte desses problemas, a melhor prevenção está no equilíbrio alimentar, com a inclusão de certos nutrientes essenciais à saúde da pele, dos cabelos e na produção dos hormônios sexuais. Mas essa mudança no cardápio precisa ser feita de forma planejada e contínua, porque é inútil passar uma semana com um menu saudável e nos dias seguintes voltar aos maus hábitos, sem horário para comer ou consumindo grandes quantidades de produtos industrializados. Portanto, encare nossa sugestão de dieta como o impulso que você esperava para adotar uma alimentação balanceada em nome da sua beleza e apetite sexual.

A testosterona é um hormônio masculino, mas também produzido em pequenas doses nas mulheres. Deficiência desse hormônio no sexo feminino predispõe à falta de apetite sexual e a baixa libido. Às vezes é preciso repor testosterona, em pequenas doses diárias, para a mulher sentir-se apta ao sexo novamente, principalmente as da faixa etária para além dos 40 anos.


Dica especial: Para ter um maior estímulo da produção de testosterona, os suplementos de Omega-3 ou óleo de linhaça. Estudos já demonstraram que a suplementação com “gorduras boas” contribui de forma muito significativa para uma maior produção de testosterona.


Os alimentos têm o poder de aumentar a produção de determinadas substâncias que estimulam o apetite sexual. Um alimento correto pode fazer maravilhas, como por exemplo, melhorar a auto-estima e a desempenho sexual. Com isso, a mulher vai se sentir muito mais preparada para seduzir.

Lista de alimentos que ajudam a despertar a sexualidade:


Alimentos ricos em zinco: A falta desse alimento no organismo pode causar deficiência no paladar e no olfato e, principalmente, causa a diminuição dos hormônios sexuais. Quanto maior a taxa de zinco no organismo, maior o apetite sexual da mulher. Alimentos ricos em zinco: ostras, mariscos, amendoim, castanhas, nozes, gengibre, ovo e carne vermelha.

Ômega 3: Essas substâncias são responsáveis pela diminuição dos processos inflamatórios e pela sexualidade saudável, pois estimulam a produção dos hormônios sexuais. Alimentos ricos em ômega 3: peixes (salmão, sardinha, cavalinha, anchova e atum), soja, óleo de linhaça, farelo de arroz, óleo de soja e óleo de canola.


Ômega 6: A falta dessa substância pode aumentar a TPM, o que reduz a vontade sexual. Incluir ômega 6 na alimentação ajuda a mulher a se sentir mais equilibrada e segura. Alimentos ricos em ômega 6: óleo de prímula e óleo de girassol.


Ômega 9: Interfere no apetite sexual, aumentando o poder de sedução. Alimentos que contém Ômega 9: azeite de oliva e óleo de canola.


Magnésio: Sustância que proporciona maior equilíbrio emocional, evitando a TPM nas mulheres e dando maior disposição para conquista. Alimentos ricos em magnésio: verduras.


Bioflavonóides: São substâncias que evitam doenças. Com o corpo saudável, a mulher fica mais à vontade para ser sensual. Alimentos ricos em bioflavonóides: morango, cereja, framboesa e amora (frutas de cor vermelha estimulam o sexo).

Adepta do lema “diga o que come e direi que tipo de sexo você faz”, nutricionistas, que pesquisam a relação dos alimentos com a sexualidade, defendem uma alimentação que garanta a constância da disposição sexual. "O que se deve buscar é uma combinação de alimentos que aumentem a produção de determinadas substâncias que estimulam o apetite sexual. E fazer isso no dia-a-dia".

Na lista dos alimentos que devem ir à mesa, é sugereido as ostras, os frutos do mar e o gérmen de trigo; as frutas frescas, de preferência as amareladas e as cítricas; o salmão e as sementes de linhaça, que contêm ômega 3 e melhoram o fluxo sangüíneo; o tomate e a goiaba; os vegetais verde-escuros e a farinha de trigo integral, vaso dilatadores, que ajudam a diminuir a fadiga, a fraqueza e as câimbras.


Os óleos vegetais citados no texto devem ter procedência conhecida e ser extraídos a frio. O processo padrão de refino industrial pode alterar os ácidos graxos essenciais, criando níveis mais altos de ácidos graxos trans, ao mesmo tempo em que, tal processamento, pode remover importantes elementos e agentes protetores naturais, como sais minerais e a vitamina E. Portanto, prensagem a frio não é um atributo a mais, e sim o requisito básico para a obtenção de um óleo saudável e funcional, garantindo a pureza e manutenção das propriedades funcionais, sem adicionar absolutamente nada.


Vera Dalla Vechia

Giroil Agroindústria

Comentários

  1. Olá. Gostei muito de ler o seu artigo.
    Se comprar omega 3,6 e 9, tomar magnezio e zinco comer frutos de cor vermelha e frutos do mar estarei a fazer a alimentação correcta?
    Que quantidade de comprimidos de omega 3,6 e 9,zinco e magnezio devo tomar por dia?
    Agradecia que me informasse a melhor forma.
    Obrigada

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como preparar sementes de chia

CHIA – O Super Alimento

REFLUXO GÁSTRICO, AZIA E SEMENTES DE CHIA