Revista Boa Forma - é óleo, mas emagrece


Os óleos funcionais estão em alta. Isso é ótimo! Consumidos na medida certa, dão uma boa força na perda de peso. Também protegem o coração e amenizam os sintomas da TPM, além de deixar a pele mais bonita! Óleo é gordura. E gordura é megacalórica (tem 9 calorias em 1g). Portanto engorda, certo? Nem sempre! Os óleos funcionais, provinientes de sementes e de frutos oleaginosas (linhaça, gergelim, castanha-do-pará, macadâmia, girassol e amêndoa), facilitam a perda de peso. Mas, antes de achar que essa notícia é loucura, vamos aos dados científicos. Um estudo realizado pala Universidade de Navarra, na Espanha, mostrou que, por conter ômegas 3, 6 e 9, os óleos funcionais são anti-inflamatórios - ação que ajuda a regular os hormônios. Na prática, o que você sente: ciclo menstrual equilibrado, TPM mais suave, menos inchaço e menor propensão em acumular gordura na barriga (yes!). Outra vantagem é a gordura insaturada, considerada nobre e em evidência nesses óleos. "Esse tipo de gordura dá aos óleos o poder de promover uma faxina nas artérias, além de manter o colesterol ruim em baixa e o bom em alta", explica Lucyanna Kalluf, nutricionista e farmacêutica do Instituto de Prevensão Personalizada, em São Paulo. Conclusão: o coração também fica protegido. E os óleos de milho, soja e canola? Assim como os de sementes e frutas oleaginosas, eles são fonte de gordura boa e, portanto, ótima opções para uso culinário. Mas atenção: não tem as mesmas propriedades terapêuticas. (se refinados, tem que ser extração a frio!) O óleo de coco é excessão. "É um óleo com ação termogênica, ou seja, capaz de acelerar a quima de gordura", diz Lucyanna. Quer mais um motivo para apostar nesses produtos? Funcionam como um tratamento de beleza. Ricos em vitaminas E, um poderoso antioxidadnte, combatem os radicais livres - inimigos da pele lisinha e iluminada. Oh, você vai estranhar o preço. Eles custam até três vezes mais que um óleo comum. Mas pequenas doses já garantem os benefícios e dão um sabor acentuado na comida. Agora conheça melhor o perfil dos óleos funcionais e saiba a dose certa para obter o melhor de cada um deles.


Máximo de benefícios

Acertar na quantidade é regra básica para que você transforme os óleos funcionais em aliados da dieta. Mas há outro detalhe importante: nunca aquecê-los. "Prensados a frio, eles preservam as propriedades terapêuticas. Mas isso muda quando submetidos ao calor. As substância boas, por exemplo, viram acroleína - um componente tóxico com potencial cancerígeno", explica Flávia Morais, nutricionista da rede Mundo Verde, de São Paulo. Também procure adotar dois ou três tipos de óleo para alternar o uso semanalmente.


O POTENCIAL DE CADA ÓLEO

Todos eles têm o poder de facilitar a perda de peso. Mas cada um tem sua particularidade: um tipo de fibra especial, um componente que mantém as toxinas à distância...



LINHAÇA



Extrído da semente dourada ou marrom, é campeão de ômega 3 - tem quase 60% desse ácido graxo, o dobro da dose encontrada no óleo de salmão, aclamado como grande fonte dessa gordura boa. E o que esse nutriente tem a ver com perda de peso? Reduz os processos inflamatórios, dificultando a formação de dépositos de gordura. Outra ação: "Melhora o equilíbrio da glicose no sangue, o que reduz a produção exagerada de insulina", explica Lucyanna. Isso prolonga a sensação de saciedade, evitando que você exagere nas calorias.

Como usar: duas colheres de sopa por dia na salada, associado ao azeite de oliva para melhorar o sabor.


GIRASSOL


Esse óleo ajuda a amanssar a fissura em doce. O segredo? Contém triptofano, precursor da serotonina - hormônio que da uma levantada no humor. E, bem humorada, você tende a esquecer do chocolate e da goiabada. Mas é a presença de magnézio e selênio que mais chama a atenção dos especialistas. "Os estudos sugerem uma relação inversa entre a ingestão dessa dupla de minerais e a incidência de câncer, provavelmente por induzirem reparos no DNA", afirma Golbspan. O selênio e o magnézio também equilibram a pressão alta e previnem crises de enxaquecas.


Como usar: duas colheres de sopa por dia em pratos salgados, como massas e ensopados, sempre depois de prontos.


Fonte: Revista Boa Forma de março/2011


Veja matéria completa


Compras na Loja Virtual Giroil


Comentários

  1. Em boa hora este texto. Ao comprar oleo no mercado nao tenho segurança. Agora vou experimentar estas alternativas propostas. Pratico exercicios fisicos frequentemente e procuro uma alimentação saudavel. O tipo de oleo com certeza é importante Um abraço eduardo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como preparar sementes de chia

CHIA – O Super Alimento

REFLUXO GÁSTRICO, AZIA E SEMENTES DE CHIA