sábado, 25 de junho de 2016

PROTEÍNA ISOLADA DE ERVILHA - PEA PROTEIN

As proteínas vegetais estão conquistando espaço no mundo da suplementação e os vegetarianos, os intolerantes e os alérgicos ao leite, a ovos e à soja podem ficar mais felizes agora.
 Junto com a proteína isolada de arroz, a proteína de ervilha chegou para ficar e cada vez mais pessoas estão interessadas em seu consumo, além do seu baixo potencial alergênico, é uma ótima suplementação pré e pós-treino!
A proteína de ervilha é considerada uma proteína de intermediária à rápida absorção, sendo ideal após o término dos exercícios para praticantes de exercícios de resistência e de força, para assim potencializar a recuperação e o anabolismo. Seu grande diferencial é o seu alto nível de Arginina, o maior entre todas as proteínas vegetais e animais (soja, clara de ovos, caseína, soro de leite, atum, carne ou frango). Arginina, para quem não sabe, é um aminoácido condicionalmente essencial, aquele que o organismo consegue produzir em condições normais, mas, em algumas condições metabólicas, a necessidade desse aminoácido é aumentada por aumento da demanda da dieta. Ele tem papel central na construção dos músculos, ajuda a liberar o hormônio do crescimento, participa da síntese da creatina, é precursor do óxido nítrico (NO) que promove a vasodilatação, melhorando a perfusão tecidual. Devido a todas essas características, a suplementação de arginina contribui para maior ganho de força e massa muscular, diminuição do percentual de gordura e para um coração saudável.
Além da Arginina, a Lisina e os famosos aminoácidos de cadeia ramificada, os BCAAs (Leucina, Isoleucina e Valina), são outros aminoácidos importantes para a recuperação muscular após exercício e estão presentes na proteína da ervilha. A Leucina, é o principal aminoácido para o aumento de massa muscular, devido a sua importante função na síntese proteica.

A proteína de ervilha quando adquirida de um bom fornecedor tem sabor agradável e pode ser consumida pura com água fresca e filtrada. 

Mas é quando essa proteína de ervilha já vem acrecida de sabor gerando uma sinergia de sabores e nutrientes? Vai canela, cacau, açúcar mascavo e estevia. 

Usando a melhor proteína de ervilha em sabor e quantidade de proteína isolada, BCAA e glutamina, Giroil lança a saborosa Pea protein sabor cacau. Adoçada com açúcar mascavo, não precisa colocar maltodextrina, já vai dar a energia que precisa. Acrescida de canela, que além do saborosa é um estimulante natural, combate o cansaço e alivia as dores musculares. Ainda tem o cacau com seus inúmeros atributos. Tá bom demais!


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Whey Protein Concentrado, Isolado ou hidrolisado: Os custos compensam os benefícios?


Durante a produção, as proteínas do soro do leite são concentradas por meio de processos industriais e, então, secas. Assim, um pó rico em WP é obtido, a "concentrada”, que contém cerca de 80% de proteínas (o restante é composto por lactose e outras substâncias). Já na produção da “isolada”, outras etapas de purificação são acrescidas. O produto final é mais puro, considerado livre de lactose, e com conteúdo proteico normalmente acima de 90%. Já a “hidrolisada” pode ser produzida tanto a partir da whey concentrada como da isolada. A hidrólise pode ser obtida por diferentes processos e argumenta-se que essa “pré-digestão” acelera a absorção das proteínas, aumentando seu efeito anabólico. 


Embora seja tentador acreditar que o aumento no grau de pureza (de 80% para 90%, na concentrada vs. isolada) resulte em melhores resultados (ganho de força e massa muscular), é muito improvável que a whey isolada tenha qualquer real benefício sobre a concentrada. Isso porque existe um limite máximo do estímulo à síntese proteica promovido pela proteína. Sabe-se que, em adultos saudáveis, esse limite gira em torno de ~20 g de proteína. 


Doses maiores não resultam em mais síntese proteica! 

Portanto, para aproveitar ao máximo uma WP com grau um pouco menor de pureza, bastaria aumentar a dose.


No caso da whey concentrada vs. isolada, as quantidades necessárias para 20g de proteína seriam 22g de isolada vs. 25g de concentrada.


 E no caso da hidrolisada, existe vantagem?


 É muito difícil melhorar o que já funciona de maneira ótima, já que uma dose de 20g já é capaz de elevar ao máximo a síntese proteica, mesmo sem nenhuma hidrólise. Nesse cenário, como poderia a hidrólise aumentar um efeito que já atingiu o máximo? Se você não é intolerante à lactose, é muito provável que a pureza ligeiramente maior da forma isolada não compense seus custos. É igualmente improvável que a forma hidrolisada tenha qualquer benefício em termos de ganho de força e massa muscular em relação às outras formas. Portanto, a forma concentrada é a opção de melhor custo-benefício para a maioria das pessoas. Claro, desde que exista a necessidade de suplementos proteicos. 


Fonte: 

Prof. Dr. Guilherme Artioli

quinta-feira, 16 de junho de 2016

A Redescoberta da Ervilha - Proteína de Ervilhas


Há muito conhecida e apreciada como ingrediente coadjuvante para incrementar saladas, cremes ou um belo refogado, a ervilha passou por uma redescoberta nos últimos anos ganhando protagonismo e status de superalimento para atletas, veganos ou simplesmente pessoas que buscam um estilo de vida saudável. E foram as mesmas qualidades de sempre somadas à constatação de que trata-se de uma fonte riquíssima de proteína biodisponível que, quando observadas sob um viés cuidadoso e ousado, renderam à leguminosa verde tamanha versatilidade a ponto de virar shake com cores e sabores antes inimagináveis.

Mas afinal, o que é que a ervilha tem?
Vejamos os fatos e atributos da ervilha – os quais vão muito além da abundância de proteína, diga-se de passagem:
Rica em fibras, proteínas e baixo índice glicêmico
Uma porção de 1 xícara de ervilha possui em média 100 calorias, 5 gramas de fibras, 5 gramas de proteínas e baixo índice glicêmico. O seu baixo teor de gordura corresponde a nada menos que o grandioso ômega 3. Ou seja, é uma aliada ideal de dietas para controle ou redução de peso.
Conquistando corações
Não é à toa que o alimento vem conquistando espaço no coração de muitos. Afinal, a ervilha faz mesmo muito bem ao coração. Senão vejamos: elementos como o Zinco, vitaminas do complexo B, homocisteína e ácido fólico, presentes na ervilha, podem contribuir para prevenir estresse oxidativo e inflamações, preservando a saúde das paredes dos vasos sanguíneos e reduzindo a possibilidade de ocorrência de doenças cardíacas. Já a niacina contida nas ervilhas auxilia na redução de triglicerídeos, induzindo à redução do LDL e aumento de HDL.
O coração sente o que os olhos vêem
Se por um lado faz bem ao coração, a ervilha também afaga os olhos. Não exatamente por ser um alimento tão vistoso assim, mas porque a luteína presente na leguminosa é um dos principais ingredientes que contribui para a boa visão. Isso mesmo, a luteína ajuda na filtragem da luz que incide sobre os olhos causando danos à região macular da retina. Vale lembrar que o corpo não possui a habilidade de produzir luteína naturalmente e, por isso, sua obtenção se dá através da alimentação e/ou suplementação.
Mais e mais
Fonte de minerais como o Magnésio, Fósforo, Ferro, Cálcio e Zinco, a ervilha possui ainda vitamina C e K, além de ser uma fonte abundante de polifenóis – poderosos antioxidantes (uma xícara de ervilhas contém 10 mg de polifenóis, valor superior às 2 mg recomendadas para que se obtenha resultados positivos)
Proteína de Ervilha GIROIL
Pensando em disponibilizar todos os benefícios desse alimento de forma prática, natural e saborosa, a Giroil desenvolveu uma linha de proteínas de ervilha que vem chamando atenção dos consumidores.
A Pea Protein, proteína de ervilha Giroil é livre de ingredientes transgênicos,  de fácil digestão, fornece  aminoácidos de cadeia ramificada e L-Arginina. Além de fundamental para a construção do tecido muscular, a L-Arginina contribui também na liberação do hormônio do crescimento e impulsiona a síntese da creatina, percursora do óxido nítrico que, por sua vez, auxilia na vasodilatação e contribui para o bom funcionamento do sistema cardiovascular. A L-Lisina, outro aminoácido essencial presente na proteína vegetal de ervilha, auxilia na manutenção dos níveis de nitrogênio dos músculos.
Pea Protein sabor natural 




A Proteína Vegetal de Ervilha é reconhecida por não possuir alergênicos e não conter lactose, soja, glúten, açúcares ou adoçantes artificiais. É um alimento vegano que agrada até mesmo os que não são adeptos do veganismo. 




Pea protein adicionada de Cacau, Canela, Açucar mascavo e Estevia




Por todas essas razões, o suplemento de proteína de ervilha veio para ficar. E quando ela ainda vem revestida de sabor e versatilidade, aí conquistam mesmo um lugar cativo no coração e na prateleira.