segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Record Notícias - Semente de Chia

Fonte: R7

A semente de chia, que é rica em fibras, proteínas e minerais, ajuda a combater problemas de saúde e a emagrecer. O suplemento alimentar pode ser encontrado em óleo, semente e farinha.

Matéria do Record Notícias

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Chia - Funciona mesmo? Pra que?















22-12-2011 Em: espelho - Nutrição e Saúde
Todo verão surge uma moda para que a gente acredite piamente que dá para emagrecer sem fazer reeducação alimentar! Mas, algumas são descobertas que realmente valem a pena incorporar ao nosso dia a dia. Por isso, hoje, no dia da nutrição a Anna Paola vai falar sobre essa novidade do verão: A Chia!

Com a palavra nossa nutricionista Anna Paola!

“A semente de Chia, originária do México e cultivada há muitos séculos pelos antigos povos daquela região, chegou ao Brasil como promessa de emagrecimento. É um alimento riquíssimo. Além de extremamente rica em fibras, ela é uma proteína completa.

Ela tem o dobro do potássio da banana, três vezes mais antioxidantes que mirtilo (blueberry), seis vezes mais cálcio que leite e oito vezes mais ômega 3 que salmão.

Quanto ao emagrecimento: ela ataca de duas formas diferentes, tornando-se muito eficaz. A primeira delas se dá pelo combate aos processos inflamatórios do corpo pela enorme quantidade de ômega 3presente nos grãos (lembram-se? Processos inflamatórios é igual a celulite e acne). É a mais rica fonte vegetal de ômega 3.

O outro benefício são as fibras, pois suas sementes são mucilaginosas, e ao entrarem em contato com a água, formam um gel no estômago, tornando a digestão mais lenta, causando saciedade, evitando assim o desejo de ingerir mais alimentos. As fibras presentes ainda ajudam a regular o trânsito intestinal, desintoxicando o organismo. Para obter este benefício a ingestão hídrica terá que ser de no mínimo dois litros por dia.

A Chia também ajuda na redução do colesterol, controle da glicemia, ajudando na formação óssea, prevenindo o envelhecimento precoce e melhorando a imunidade do organismo.

São também muito benéficas para desportistas, pois por serem hidrofílicas, e absorverem até 10 vezes o seu peso em água, mantêm o corpo hidratado.

Esse grãozinho especial também é u

ma boa opção para quem deseja a hipertrofia muscular. Pois ele tem uma elevada concentração de proteínas, a principal matéria-prima da musculatura. Por isso, os especialistas recomendam consumi-la após a malhação.

Onde comprar? Como comprar?

A chia é encontrada em lojas de produtos naturais na forma de grãos, farinha e óleo.

Como consumir?

Cerca de 100g contêm 371 calorias, por isso, é bom não abusar na quantidade. A porção diária ideal é de uma colher de sopa.

Pode ser acrescentado a sucos, iogurte, leite, frutas. E seus grãos ou a farinha pode ser adicionado a massa de pães, bolos e pudins.

A Chia pode ser consumida crua, de várias maneiras. A receita de base é: misture 1 colher de sopa de semente de chia com ½ xícara de água e deixe hidratar por meia hora, mexendo de vez em quando. No final desse tempo um gel terá se formado. Você pode preparar uma quantidade maior e deixar na geladeira. O gel de chia se conserva alguns dias, sem perder os nutrientes. Em seguida esse gel pode ser consumido de várias maneiras. Por ter sabor neutro pode ser misturada com outros alimentos sem alterar o gosto original. Você pode juntar o gel à frutas, por exemplo, como se fosse um iogurte. Se a textura do gel te desagradar, bata no liquidificador com as frutas. Fica ótimo!”

Agora vocês já sabem os benefícios e como usar a Chia que não faz nenhum milagre na balança, mas pelo visto faz muito bem para a saúde. Mas hoje além da Anna Paola resolvi consultar uma empresa com dicas de como comprar e guardar a Chia. A Vera Dalla Vechia da Giroil deu as dicas:

Como comprar?
Os principais cuidados na escolha do produto é buscar uma de qualidade. É preciso comprar de marcas que passam as sementes em maquinário de limpeza, assim elas ficam limpas de impurezas. Existem algumas marcas que não tem esse cuidado.

Também é importante comprar as sementes que venham em caixa ou material que proteja a Chia da luz.

E aí – Vamos de Chia?

Imagem – Giroil

Fonte: http://depoisdos25.com/?p=2694

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Zero Hora - Clic RBS - Semente de Chia














Grão originário dos Andes é rico em ácido graxo ômega 3, bom para prevenir doenças cardiovasculares

Com status de superalimento, a chia é a nova querida dos nutricionistas brasileiros

Considerado um dos grãos mais eficazes na prevenção e diminuição do risco de problemas cardiovasculares, pressão alta, obesidade, colesterol e diabetes, a chia chegou no Brasil há pouco. Proveniente da região dos Andes, o alimento é considerado uma importante fonte de ácido graxo ômega 3 de origem vegetal.

De acordo com a nutricionista da Unidade de Doenças Cardiovasculares da Pontifícia Universidade Católica do Chile, Carolina Chica, pesquisadora do grão há quase 10 anos, a chia dispõe de proteínas de alto valor biológico, fibras e antioxidantes, o que confere ao alimento um poderoso aliado no combate aos radicais livres.

— Além disso, a chia tem ação anti-inflamatória e grande capacidade de absorção de glicose, ideal para a prevenção do diabetes e controle da insulina — afirma a especialista.

A aparência do grão de chia é próxima ao gergelim, porém com uma coloração mais escura. Uma de suas vantagens é que pode ser consumido em sua forma natural, sem a necessidade de trituração para obter seus nutrientes, como exigem alguns outros grãos. Pode ser utilizado no preparo de bolos, pães e massas, além de ser normalmente consumido com cereais matinais, sopas, saladas, iogurtes, sucos, vitaminas e frutas.

A grande vantagem da chia é a sua praticidade. Você pode consumi-la em sua forma natural, sem a necessidade de triturar ou moer.

Este alimento tem uma história curiosa: o grão era uma das principais fontes de alimentação dos povos andinos da era pré-colombiana, com plantio desde 2600 a.C. Era cultivado no México e na Guatemala e consumido principalmente pelos maias e astecas para aumentar a resistência física. No entanto, a chia também estava atrelada a rituais sagrados e servia como oferenda aos deuses dessas civilizações, o que despertou a ira de espanhóis católicos que viam a cerimônia como um ritual pagão. Com isso, seu cultivo foi extinto por séculos e só foi retomado no início da década de 90 por um grupo de pesquisadores argentinos em parceria com a Universidade do Arizona (EUA). Desde então, os cientistas têm se voltado para pesquisas com o grão.

Hoje, a chia pode ser encontrada na alimentação dos povos norte-americanos, canadenses, japoneses, australianos, mexicanos, chilenos e de grande parte da América Latina. Estudos científicos apontam seus benefícios na prevenção e no controle de diabetes, colesterol, hipertensão, e câncer de mama, entre outras doenças.

A fibra também é outro ponto importante a se considerar nesse superalimento. Em torno de 40% são fibras dietéticas, sendo 36% de fibra insolúvel e 5% de fibra solúvel. Muitos nutricionistas recomendam seu consumo como um aliado em dietas de redução de peso.

— Seu poder de emagrecimento está relacionado a elevada quantidade de fibras que proporcionam sensação de saciedade. Quando entram em contato com a água, essas fibras formam uma espécie de gel no estômago, dando sensação de saciedade — afirma a nutricionista Fernanda Granja.

Uma gordura essencial

:: O ômega 3 é um ácido graxo essencial. Trata-se de uma gordura importante para o organismo, mas que apesar de necessária, não é produzida pelo corpo humano. Em geral, os ácidos graxos essenciais regulam as funções do organismo e contribuem para a absorção de vitaminas, para a síntese de hormônios e previnem doenças cardiovasculares.

:: O ácido graxo ômega 3 tem um papel essencial nas membranas do sistema nervoso e é muito importante para o sistema cardiovascular. Ele impede a formação de trombos, faz com que o sangue flua melhor e protege a camada do endotélio. Além disso, cumpre uma função importante na parte elétrica do corpo como o coração, a retina e também na capacidade de aprendizado do indivíduo como a atenção e a memória, melhorando o desempenho intelectual.